IMG_2223

Waterbike

pedalinho_parede-01

English_

Interactive floating kinetic sculpture, developed during the artist in residency program from Willem de Kooning Academy in Rotterdam with students as part of their school internship, build especially for Henriques solo exhibition titled Relandscape in Rio de Janeiro (Aug – Oct 2016). This bio machine was built from existing technologies that the artist has hacked, as many of his creations. It is in the same research line of evolution which Symbiotic Machine has begun in 2014 and were continued by the creation of Caravel, in 2016.

The main idea is to to create a combined bio-mechanical system: people’s displacement to generate sufficient energy to pump the water to be purified by an hydraulic system. This system is a combination of a spiral pump connected with tubes in which bacteria are living. These bacteria are fed on the organic materials in the water that are one of the leading causes of water pollution.

In comparison to the other aquatic bio machines developed by the artist, with the Waterbike project the public is invited to interact with the machine’s operating system, which was designed to have a continuous life outdoors. The need of human propulsion opens a new context of the evolution of Henriques’ works: the possibility that people can act in a playful and conscious relationship – not alienated – with the machine.

Since this work is completed, more inclined to leisure than labor, it goes against the Fordist model of interaction between man and machine – in which the best picture is still the one Charles Chaplin bequeathed to us in Modern Times (1936). It is important to say that this project was also motivated by the artist’s approach of the actual conditions of Rio de Janeiro State lagoon’s system and Rotterdam’s harbour, composed of small and large ponds  in Rio and canals and ponds in Rotterdam, which are absolutely polluted – some covered by algae and microbes such as Piratininga Lagoon, located in the oceanic region of Niterói, Lagoinha, located in Chico Mendes’ Municipal Natural Park (PNMCM), in Recreio dos Bandeirantes neighborhood and the harbour in Maas river in Rotterdam.

[IP – Dir. CMAHO]

 

Portuguese_

Escultura cinética flutuante e interativa, desenvolvida durante o programa de artista em residencia da Willem de Kooning Academy como parte  de estagio para alunos. O projeto foi elaborado especialmente para a presente exposição. Essa biomáquina foi construída a partir de tecnologias existentes que foram hackeadas pelo artista, como muitas de suas criações. Está na linha de evolução das pesquisas que se iniciaram com a Máquina simbiótica (Symbiotic machine), em 2014, e que tiveram continuidade com a criação de Caravela (Caravel), em 2016. Sua ideia central é utilizar o deslocamento das pessoas para gerar a energia necessária ao bombeamento da água, que é purificada por um sistema que combina uma bomba, em espiral, conectada a tubos onde são cultivadas bactérias que se alimentam de materiais orgânicos contidos na água, principais causadores da poluição.

Em relação às outras biomáquinas aquáticas desenvolvidas pelo artista, temos uma interação mais intensa com o público no processo de funcionamento da máquina, que foi desenvolvida para habitar ambientes externos. Outra diferença é que o Pedalinho não é autossustentável em termos de cumprimento de sua função ecológica. A necessidade da propulsão motora humana, no entanto, inaugura, no contexto desses trabalhos, a possibilidade de atuarmos numa relação lúdica e consciente, não alienada, com a máquina.

Esse trabalho realizado, mais afeito ao lazer do que ao labor, vai na contramão do modelo fordista de interação entre homem e máquina – do qual a melhor imagem é ainda a que nos legou Charles Chaplin, no filme Tempos modernos (1936). É importante dizer que esse projeto foi motivado também pela aproximação do artista com o sistema lagunar do estado do Rio de Janeiro, composto por pequenas e grandes lagoas absolutamente poluídas, algumas cobertas por algas, como a lagoa de Piratininga, localizada na região oceânica de Niterói, e a Lagoinha, localizada no Parque Natural Municipal Chico Mendes (PNMCM), no Recreio do Bandeirantes. [IP – Dir. CMAHO]

 

 

logo_MF-SF_SECRJ_VRTG-01